Você está em:

Notícia

Aluna de Medicina da UNICID conquista bolsa FAPESP com pesquisa sobre Estimulação Magnética Transcraniana


13
novembro 2017

Após começar, em 2015, a Iniciação Científica sobre a Neuromodulação não-invasiva, mais especificamente a Estimulação Magnética Transcraniana, a aluna de Medicina Alessandra Facchina conquistou, nesse ano, a bolsa FAPESP.

O trabalho está sendo orientado pelo Prof. Dr. Ricardo Galhardoni, docente de Medicina na UNICID que realizou o seu doutorado e pós-doutorado pelo Departamento de Neurologia da FMUSP, no qual mantém participação no Laboratório de Neuromodulação. Além disso, ele coordena o curso de aperfeiçoamento em Neuromodulação Não-Invasiva da Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas.

Segundo ele, a bolsa foi concedida pela FAPESP por entender que o trabalho tem relevância tanto no meio acadêmico quanto no clínico: “para conceder bolsas aos candidatos de graduação, a agência leva em conta o mérito do projeto, o desempenho acadêmico nas atividades curriculares e de extensão e o cronograma de execução para a atual fase do desenvolvimento acadêmico do aluno (período em que está na faculdade e matérias já cursadas)”.

 

Saiba mais: a Estimulação Magnética Transcraniana é uma técnica que tem por objetivo realizar a modulação da circuitaria cerebral, ou seja, modificar o funcionamento do cérebro sem que intervenções cirúrgicas sejam necessárias, somente modulando as ondas cerebrais. Ainda, pode ser utilizada como ferramenta neurofisiológica, realizando as medições do tamanho das ondas cerebrais e, assim, auxiliando no diagnóstico do funcionamento do cérebro.

A técnica pode ser empregada em diversos distúrbios neuropsiquiátricos (depressão, zumbido e fibromialgia, por exemplo).

Embora inovadora, a técnica, relativamente nova, possui carência de dados referentes aos efeitos físicos da neuromodulação no organismo humano.

 

“Amadurecendo a compreensão dos caminhos da pesquisa científica, a aluna busca entender os efeitos da neuromodulação sob a variabilidade da frequência cardíaca, outro nome para compreender o funcionamento e a dinâmica cardíaca nas diferentes situações do cotidiano. Essa técnica se dispõe a investigar os efeitos dos batimentos R-R minuto a minuto e “traçar um perfil” do coração do sujeito”, explica o Prof. Dr. Ricardo.

Para a aluna Alessandra Facchina, o aprendizado adquirido com a Iniciação Científica é de extrema importância: