Prevenção de golpes cibernéticos: como proteger suas informações na era da Inteligência Artificial  

22/07/2024

A crescente sofisticação dos golpes cibernéticos, especialmente aqueles que utilizam Inteligência Artificial (IA), traz novos desafios para a segurança digital de pessoas e empresas. A capacidade da IA de personalizar ataques torna essencial a conscientização e a adoção de medidas preventivas. 

Golpistas podem explorar várias informações pessoais para aplicar golpes, e o uso de IA potencializa a eficácia dessas tentativas.  

O relatório do FortiGuard Labs, empresa de soluções de cyber segurança, lançado em 02 de maio de 2024, destaca uma tendência preocupante no cenário global de cibersegurança: os cibercriminosos estão aproveitando novas vulnerabilidades da indústria 43% mais rápido do que no primeiro semestre de 2023. 

Segundo o professor do curso de Tecnologia e Cibersegurança do UDF, Alex Casañas, compreender quais informações são vulneráveis e como protegê-las é fundamental. “Os golpistas utilizam desde nomes completos até dados bancários para criar mensagens convincentes e personalizadas. A IA permite a análise de grandes volumes de dados para identificar alvos vulneráveis, aumentando a taxa de sucesso desses golpes”, explica. 

Como se prevenir de golpes cibernéticos 

Para se prevenir de golpes que utilizam informações pessoais e Inteligência Artificial, é fundamental adotar uma série de práticas de segurança, segundo Casañas, ressaltando as principais.  

Mantenha-se informado sobre os tipos de golpes mais comuns e as técnicas utilizadas pelos golpistas. Use senhas fortes, complexas e diferentes para cada conta, considerando a utilização de um gerenciador de senhas. Ative a autenticação de dois fatores em todas as contas que oferecem essa opção, pois isso adiciona uma camada extra de segurança”, ressalta. 

O especialista também sugere evitar clicar em links ou abrir anexos de e-mails, mensagens de texto ou redes sociais de remetentes desconhecidos ou suspeitos. Além disso, é importante verificar a identidade de quem entra em contato, especialmente se pedirem informações pessoais ou financeiras, e ligar diretamente para a organização ou pessoa por meio de números ou contatos oficiais. 

Estar com todos os seus dispositivos, sistemas operacionais e softwares atualizados com os patches de segurança mais recentes é outra forma eficaz de proteção. “Utilizar programas antivírus, ter cuidado com o que compartilha nas redes sociais e evitar divulgar informações pessoais que possam ser usadas para responder perguntas de segurança são algumas medidas necessárias para evitar ataques cibernéticos”, explica Casañas. 

Com relação a contas bancárias e cartões de crédito, que também podem ser alvos de golpe, Casañas conta que é preciso verificar regularmente se não há transações suspeitas e configurar alertas de atividade sempre que possível. Outra medida que pode aumentar o nível de proteção é desconfiar de ofertas que possam ser boas demais, pois muitas vezes são tentativas de golpe.  

O uso de redes Wi-Fi públicas ou não seguras para realizar transações financeiras ou acessar informações sensíveis são arriscadas e podem trazer danos para a pessoa e o dispositivo que está sendo utilizado.  

Revisar e ajustar as configurações de privacidade em todas as contas e dispositivos ajuda a limitar o acesso as suas informações, também. Adotar essas práticas pode ajudar, e muito, a minimizar o risco de ser vítima de golpes e a se proteger contra cibercriminosos”, completa Casañas.