Financiamentos Recebidos


  • Selecione outro idioma


LINHA DE PESQUISA: POLÍTICAS PÚBLICAS

 

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA SÃO PAULO INTEGRAL E A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL – ANÁLISES E PROPOSIÇÕES
Coordenação Vanda Mendes Ribeiro
Coordenação Adjunta: Alexsandro Nascimento Santos
Para execução contou com mais de 20 pesquisadores e alunos de pós-graduação, da Unicid, da Puc-Rio, da Usp, da Unirio e do Cenpec, parte deles da Rede de Estudos sobre Implementação de Políticas Públicas Educacionais – https://www.reippe.com/
O projeto analisa a implementação do “Programa São Paulo Integral (PSPI)” no período de 2015 a 2018, no intuito de fornecer subsídios para o seu aprimoramento, identificando dificuldades, avanços e potencialidades, e propondo meios para a melhoria e ampliação do Programa. Integra o Programa Pátio Digital – Apoio às Escolas Públicas da Rede Municipal de São Paulo – projeto realizado em parceria entre a Prefeitura e a Unesco/Brasil.
Financiamento: UNESCO/BRASIL 010772018
Valor: 145.300,00

 

IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS E EQUIDADE EM CONTEXTO DE VULNERABILIDADE SOCIAL – Investiga a implementação de políticas educacionais em contexto de alta vulnerabilidade social no município de São Paulo e no Estado do Ceará, que estão ampliando a equidade nos anos iniciais do ensino fundamental. Busca identificar e analisar fatores que influenciam o ensino e a aprendizagem.
O projeto é executado em parceria com 19 pesquisadores, 15 de institucionais nacionais (parte deles da Rede de Estudos sobre Implementação de Políticas Públicas Educacionais –https://www.reippe.com/) e quatro de instituições internacionais das universidades Unicid, Puc-Rio, Ufop, UFC, Université Est Créteil, Université de Limoges, Université de Lille, Universidad de Aysen. Congrega ainda 2 alunos de graduação (um bolsista), 10 de mestrado (um bolsista) e 4 egressos do PPGE da Unicid.
Coordenação: Prof.ª. Drª. Vanda Mendes Ribeiro
Financiamento: FAPESP processo n. 2018/11257-6.
Valor: 154.580,17

 

A GESTÃO DE INSTITUIÇÕES ESCOLARES (2008/2020): ESTADO DO CONHECIMENTO – O estudo tem como propósito inventariar e analisar produções científicas sobre gestão escolar buscando responder à seguinte questão: quais aspectos e dimensões são privilegiados, com vistas a propiciar uma noção abrangente do nível de interesse acadêmico sobre o tema? Em outros termos, procura identificar as abordagens teórico-metodológicas adotadas nos estudos e seus resultados.
Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID – SEDIC Sociedade Educacional cidade de São Paulo Ltda.

 

ENSINO REMOTO: A IMPLEMENTAÇÃO DE ORIENTAÇÕES DA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO POR DIRETORES ESCOLARES – A pesquisa analisa como diretores escolares – que atuam em escolas estaduais – têm implementado as orientações legais e normativas preconizadas pela Secretaria Estadual de Educação de São Paulo (SEDUC-SP), durante o período de ensino remoto, e o processo de retomada do ensino presencial. O propósito do estudo é identificar possíveis intervenientes na consecução de diretrizes oficiais, em unidades escolares da rede estadual de ensino, em contexto pandêmico.
Angela Maria Martins (coord.); Cláudia Oliveira Pimenta (Fundação Carlos Chagas); Eduardo Castilho (Unicid); Edmar Lucas Sehnem (Unicid); Eric Passone (Unicid); Fabiana Fernandes (Fundação Carlos Chagas); Sanny Silva da Rosa (Universidade Municipal de São Caetano do Sul); Vandré Gomes da Silva (Fundação Carlos Chagas).
Financiamento: Fundação Carlos Chagas (a instituição não permite divulgação de recursos)

 

CENÁRIOS DE GESTÃO DE ESCOLAS MUNICIPAIS NO BRASIL
Angela Maria Martins (coord.); Alenis Andrade (UNISINOS); Cristiane Machado (Unicamp); Cristiane Welter (UNISINOS); Flávia Obino Werle (Unisinos); Giselle Cristina Real (UFGD); José Santos Silva Júnior (UFGD); Maria Helena Bravo (FCC); Sandra Zákia Sousa (FEUSP).
A pesquisa caracteriza cenários de gestão vigentes em escolas de redes municipais, analisando respostas declaradas pelos diretores municipais ao questionário contextual da Prova Brasil de 2015. O estudo foi estruturado em três etapas distintas e complementares: i) sistematizar e analisar as respostas declaradas pelos diretores de escolas municipais no questionário contextual da Prova Brasil (PB) de 2015, delineando um cenário descritivo-interpretativo em âmbito nacional; ii) explorar respostas declaradas por diretores de regiões brasileiras , por meio de tratamento estatístico, cotejando-as com estudos da área que examinam práticas consideradas desejáveis para a ampliação da democratização da educação; iii) realizar estudos de aprofundamento em municípios brasileiros, orientados por questões suscitadas a partir das etapas anteriores. Os objetivos norteadores da pesquisa são: mapear respostas declaradas pelos diretores municipais, com o intuito de apreender cenários de gestão escolar e analisar seu potencial de contribuição para a democratização da educação.
Financiamento: Fundação Carlos Chagas (a instituição não permite divulgação de recursos)

 

RELAÇÕES DE CONVIVÊNCIA E PARTICIPAÇÃO EM ESCOLAS PÚBLICAS: RESPOSTAS DECLARADAS POR DIRETORES MUNICIPAIS AO QUESTIONÁRIO CONTEXTUAL DA PROVA BRASIL –
Angela Maria Martins (coord.); Carolina Queiroz Silva (Unicid); Edmar Lucas Sehnem (Unicid); Eduardo Castilho (Unicid); Maria Helena Bravo (Feusp).
A pesquisa ora apresentada – financiada por Bolsa Produtividade do CNPq – dá prosseguimento a investigações anteriores financiadas pela Fundação Carlos Chagas-Projeto EPFC 0283 e Edital Universal do CNPQ-Processo 445406/2014-3. Em continuidade, este estudo analisa as respostas declaradas por diretores de escolas municipais ao Questionário Contextual da Prova Brasil, em 2017, com foco na seguinte questão central: Quais são as práticas declaradas sobre relações de convivência e de participação no espaço escolar, assim como sobre situações de indisciplina e conflito? Em outros termos, o estudo busca apreender suas percepções, com base nas respostas registradas no Questionário Contextual, acerca do envolvimento da escola com pais (ou responsáveis), e a comunidade do entorno, com vistas a identificar relações de convivência entre os professores, alunos, suas famílias e/ou responsáveis, diretores e funcionários, assim como entre as unidades de ensino e os atores sociais do contexto onde estão localizadas as escolas, com base nas respostas declaradas por diretores municipais ao Questionário Contextual da Prova Brasil – 2017. Os itens serão, inicialmente, agrupados para tratamento estatístico nas seguintes dimensões: organização e funcionamento dos órgãos colegiados; participação de famílias e demais membros da comunidade no espaço escolar; projetos extracurriculares; ações de voluntariado; ações desenvolvidas para o enfrentamento de problemas do cotidiano escolar, especificamente as que podem incidir em situações de indisciplina, conflito e violência.
Financiamento: Bolsa Produtividade CNPQ – 301772/2019-3 (R.800,00)

 

ANÁLISE DE POLÍTICAS PÚBLICAS NO NÍVEL SUBNACIONAL DE GOVERNO – Analisa os processos de transformação recentes de políticas públicas no nível subnacional de governo no Brasil, considerando aspectos como: políticas públicas e direitos; participação da sociedade civil na formulação, implementação e controle de políticas públicas; políticas públicas, intersetorialidade e transversalidade.
Financiamento: Escola de Administração de Empresas de São Paulo – Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV), GV- Pesquisa, CNPq

 

AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM UM CENÁRIO DE INTERNACIONALIZAÇÃO: O PAPEL DA CONAES NA CONSOLIDAÇÃO DO SINAES – Discute o papel da Conaes na construção e implementação do Sinaes, frente às exigências estabelecidas no cenário nacional e internacional. A investigação exploratória inscreve-se no campo da Análise de Política, com especial atenção ao processo de institucionalização do referido Sistema.
Financiamento: FAPESP (auxílio financeiro).- Processo: 19/10001-0

 

AVALIAÇÃO EM CONTEXTOS EDUCACIONAIS – Aborda diferentes dimensões que abarcam a avaliação realizada por gestores escolares. Tem como propósito compreender os macro efeitos – advindos das políticas públicas – e os micro efeitos – advindos das definições curriculares – como norteadores das ações que impactam as Instituições escolares.
Financiamento: FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID

 

DESAFIOS DA INSERÇÃO E TRAJETÓRIA PROFISSIONAL DOS EGRESSOS DO CURSO DE PEDAGOGIA NA REGIÃO DO GRANDE ABC PAULISTA – Investiga a inserção e a trajetória profissional dos egressos do curso de pedagogia no período de 2010 a 2019, com o intuito de configurar o lugar ocupado pelos pedagogos na Educação Básica e em outras áreas produtivas.
Financiamento: FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID

 

ENFRENTAMENTO DE DESIGUALDADES EDUCACIONAIS: SISTEMATIZAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS DE POLÍTICAS PÚBLICAS EM EDUCAÇÃO BÁSICA – Identifica iniciativas de gestão da Educação Básica, nacionais e internacionais, que incidiram, segundo pesquisas, na desigualdade educacional, melhorando o acesso à escolarização e/ou os níveis de aprendizagem dos estudantes, ampliando assim, a equidade. Com participação de pesquisadores do Brasil e de outros países, a pesquisa identificou e descreveu 15 experiências: Brasil, Chile, Argentina, França, EUA, Coréia do Sul.
Coordenação: Profa. Dra. Vanda Mendes Ribeiro (Unicid) e Claudia Lemos Vovio (Unifesp).
Com participação de 11 pesquisadores do Brasil e de outros países, a pesquisa identificou e descreveu 15 experiências nos seguintes países: Brasil, Chile, Argentina, França, EUA e Coréia do Sul.
Financiamento: FUNDACAO TIDE AZEVEDO SETUBAL,
Valor: 71.000,00 em forma de bolsas

 

GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS: RELAÇÕES INTERGOVERNAMENTAIS, INTERSETORIAIS E INTERINSTITUCIONAIS, COM DESTAQUE À POLÍTICA EDUCACIONAL – Analisa as transformações recentes nos processos de gestão de políticas públicas, observando os seguintes eixos: 1) relações intergovernamentais e intersetoriais; 2) políticas públicas e direitos; 3) gestão, participação, transparência e democratização.
Financiamento: Instituto para o Desenvolvimento de Inovações Tecnológicas, Sociais, Gestão de Políticas Públicas e Justiça Social – (Instituto JUS); Fundação Escola de Sociologia e Pesquisa de São Paulo e Itaú Social

 

O ESTADO DO CONHECIMENTO SOBRE OS ESTUDOS DE RESPONSABILIZAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA REVISÃO DA LITERATURA – A pesquisa dá prosseguimento a investigação anterior, na qual se investigou as práticas discursivas associadas à avaliação em larga escala como dispositivo de gestão escolar. Este estudo elabora uma revisão detalhada da produção acadêmico-científica brasileira, de tipo Estado da Arte, sobre as políticas de responsabilização escolar.
Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID

 

POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO, REGULAÇÃO E GESTÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA – Investiga os efeitos das práticas discursivas articuladas em torno das novas formas de regulação da educação básica, mediadas pela “administração pós-burocrática” dos sistemas públicos de ensino, buscando identificar as realidades, limites e possibilidades, no que concerne às mudanças produzidas no cotidiano escolar e em relação ao ato educativo, ao professor, ao estudante e à própria gestão educacional. Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID

 

PRÁTICAS DE DIRETORES ESCOLARES NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS: NORMAS VIGENTES E DESAFIOS DO COTIDIANO – Analisa práticas de gestores no que se refere a ações implementadas em escolas públicas, no intuito de identificar desdobramentos do escopo legal e normativo na organização e funcionamento de órgãos colegiados, na elaboração do planejamento escolar e no apoio e acolhimento à comunidade.
Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID

 

GESTÃO DEMOCRÁTICA DA ESCOLA PÚBLICA PAULISTA: ANÁLISE DE UM PROJETO – Investiga as representações sociais que os sujeitos da escola constroem sobre a gestão democrática da escola pública paulista, tendo como base os dados obtidos de um projeto intitulado “Gestão Democrática da Educação”, implementado pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Trata-se do pós-doutoramento do Prof. Dr. Ricardo Alexandre Marangoni, sob a supervisão do Prof. Dr. Ângelo Ricardo de Souza (UFPR).
Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID

 

POLÍTICAS EDUCACIONAIS: DESDOBRAMENTOS NA GESTÃO DE UNIDADES ESCOLARES – O projeto trata das políticas educacionais implementadas em esferas federal, estaduais e municipais, com foco em desdobramentos nas unidades escolares, considerando os condicionantes históricos, políticos, econômicos e sociais. Serão analisados os processos de apropriação (ou não) das diretrizes políticas, por equipes de gestão de instituições de educação.
Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID

 

A GESTÃO DE INSTITUIÇÕES ESCOLARES (2008/2019): ESTADO DO CONHECIMENTO
Este estudo – desdobramento de investigação maior financiada pelo CNPq e pela Fundação Carlos Chagas – teve como propósito inventariar e analisar produções científicas sobre gestão escolar buscando responder à seguinte questão: quais aspectos e dimensões são privilegiados, com vistas a propiciar uma noção abrangente do nível de interesse acadêmico sobre o tema? O caminho metodológico de caráter bibliográfico denominado Estado do Conhecimento, busca identificar quais são as abordagens teórico-metodológicas adotadas nos estudos e seus resultados. Esse desenho de pesquisa proporciona, também, que outros pesquisadores examinem aspectos a serem ainda explorados, ao mostrar o que vem sendo produzido para que novos ângulos emerjam em investigações sobre o tema. O levantamento foi realizado exclusivamente em meio eletrônico (internet), cobrindo o período entre os anos de 2008 a 2019, em periódicos da área de educação classificados exclusivamente pelo Qualis/Capes, com base nas seguintes expressões booleanas: gestão escolarparticipação; gestão escolarconselhos escolares; gestão escolarclima escolar; gestão escolarperfil de diretores; gestão escolardesempenho de alunos; gestão escolaracesso ao cargo; gestão escolarnoções de administração; gestão escolarestilos de direção.
Angela Maria Martins (coord.); Cláudia Oliveira Pimenta (Fundação Carlos Chagas); Juliana Norberto Alvim (Unicid); Kalebe Monteiro Xavier (Unicid); Kamila Lima de Santana (Unicid); Livia P. de Paula (Unicid); Maria Helena Bravo (Feusp); Sanny Silva da Rosa (Universidade Municipal de São Caetano do Sul).
Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID – SEDIC Sociedade Educacional cidade de São Paulo Ltda.

 

CONFLITOS E CONVIVÊNCIA NO ESPAÇO ESCOLAR: POSSÍVEIS APROXIMAÇÕES ENTRE BRASIL E PORTUGAL
Angela Maria Martins (coord.); Mariana Gaio Alves (Universidade de Lisboa)
Este estudo comparado – financiado pela Fapesp com Bolsa de Pesquisa no Exterior (BEPE/Processo 2016/07220-4) – analisou elementos que se aproximam (e/ou que se distanciam) no escopo de dois programas de governo: Sistema de Proteção Escolar (SPE) – implementado desde 2010 no estado de São Paulo; e Territórios Educativos de Intervenção Prioritária (TEIP), implementado desde 1996 em Portugal. Propôs os seguintes questionamentos: quais são as estratégias que escolas públicas – localizadas em regiões consideradas vulneráveis pelos respectivos programas – utilizam em situações de conflito? Quais são os significados atribuídos por equipes de gestão às situações de indisciplina, conflito e violência? O estudo foi estruturado em duas etapas: a) sistematização e análise do escopo legal e normativo dos programas em pauta; b) realização de estudos de campo em ambos os países com atores escolares responsáveis por sua implementação.
Financiamento: Bolsa de Pesquisa no Exterior (BEPE/Processo 2016/07220-4) (U$ 2.500,00)

 

CONFLITOS NO ESPAÇO ESCOLAR: A GESTÃO DE ESCOLAS PÚBLICAS EM CONTEXTOS VULNERÁVEIS
Angela Maria Martins (coord.); Alice Botler (UFPE); Cristiane Machado (Unicamp); Ecleide Furlaneto (Unicid); Kamila Lima Santana (Unicid); Marialva Rossi Tavares (Fundação Carlos Chagas).
O estudo busca compreender os significados atribuídos por diretores de escolas públicas, professores mediadores comunitários e alunos do ensino fundamental 2 e ensino médio, sobre situações de conflito e violência no espaço escolar, no escopo do Programa implementado desde 2011 no estado de São Paulo, intitulado Sistema de Proteção Escolar (SPE). Na primeira fase, a pesquisa sistematizou e analisou o escopo legal e normativo que orienta ações no campo das políticas públicas de educação no Brasil no que se refere a situações de violência e conflito, sobretudo no que tange ao Sistema de Proteção Escolar. Na segunda fase, buscou compreender os significados atribuídos por atores escolares acerca das situações em tela. Partiu-se do pressuposto que nos processos interativos entre diferentes atores escolares no cotidiano, instituem-se processos de (re) leitura ou de (re) interpretação do conjunto normativo e legal, configurando situações imprevisíveis de trabalho que afetam a gestão pedagógica e administrativa de unidades escolares. Trata-se de estudo exploratório desenvolvido em colaboração com Diretorias de Ensino Regionais da rede estadual paulista, com o propósito de contribuir para a construção de caminhos mais democráticos na gestão escolar. É financiado pelo Edital Universal do CNPQ (445406/2014-3), com implementação de missões e seminários em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco e a Universidade Federal de São Carlos.
Financiamento: Edital Universal do CNPQ (445406/2014-3) – (R$ 48.000,00).

 

Linha de Pesquisa: Subjetividades Formação e Aprendizagens

 

PROTÓTIPO REGIONAL DO ÍNDICE NACIONAL DE INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA – IOKI_PCD

Coordenação: Prof. Dr. Roberto Gimenez – 2021
Participantes: Profa. Dra. Ida Carneiro Martins
Prof. Ma. Cristiane Makida Dyonisio
Prof. Ma. Vitória Régia de Souza Elias
Prof. Esp. Priscila de Lima Leite

O processo de inclusão social para as pessoas com deficiência ainda apresenta desafios notáveis, em diversas áreas de sociedade, advindo de um movimento histórico com caráter biológico, buscou-se durante anos a “normalização” das pessoas com deficiência em procedimentos médicos de reabilitação. Entretanto, houve avanços significativos apoiados no paradigma de inclusão, sua premissa é possibilitar a equidade de direitos e acessos. Para isso, este estudo tem como objetivo construir um protótipo capaz de identificar o perfil e o grau de inclusão das pessoas com deficiência. Será realizado uma pesquisa de campo e a escuta das pessoas com deficiência (PCD), por meio de 5 etapas: 1) Questionário; 2) Grupo Focal, 3) Entrevistas Individuais; 4) Shadowing e 5) Escuta territorial. Para análise dos dados quantitativos do questionário serão utilizados os métodos de estatística descritiva (médias, desvio padrão e percentuais) estatística inferencial (comparação de médias) e de correlação de dados (ordinais, contínuos e categoriais). Para todos adotaremos um nível significância de p < ou = 0,005 (DOWNING e CLARK, 2002). Já para a análise dos dados advindos de outros métodos de caráter qualitativo, será feita a análise da transcrição das entrevistas e das crônicas, por meio da Análise de Conteúdo proposta por Moraes (1999).
Financiamento: Instituto Olga Kos e pela OEI (Organização dos Estados Ibero-Americanos).
TERMO DE FOMENTO Nº 01/SMPED/2021
PROCESSO Nº 6065.2021/0000379-6 PARTÍCIPES: SECRETARIA MUNICIPAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E INSTITUTO OLGA KOS DE INCLUSÃO CULTURAL – IOK– CNPJ nº 08.745.680/0001-84
Valor: 150.000,00.

 

EDITAL FORMADORES
Coordenação: Prof. Dr. Roberto Gimenez – 2021
O Município de São Paulo tem realizado uma série de esforço para a implantação de Programas de Planejamento Estratégico e para o acompanhamento das aprendizagens sobretudo diante dos quadros de exclusão diante da pandemia. Para tanto, o presente projeto prevê o acompanhamento dos processos de implantação dos Planejamentos Estratégicos e acompanhamento das Aprendizagens por parte de Diretores da DRE de São Miguel, Zona Leste do Município de São Paulo. Fazem parte da pesquisa 52 diretores. Suas práticas de Gestão serão acompanhadas pelo pesquisador no que tange à implementação dos Planos de Ação, Acompanhamento das aprendizagens e inclusão de crianças e jovens.
Financiamento: Secretaria Municipal de Educação do Município de São Paulo
Edital n. 6016.2020/0019005-8)
Publicação
conf. D.O. de 16 de outubro de 2020
Valor 100.000,00

 

Passeggi, M. “Narrativa, educação e saúde: crianças, família e professores entre o hospital e a escola” (MCTIC/CNPq Chamada nº 28/2018, processo n. 443695/2018-0, Financiamento: 32.000,00)

 

Passeggi, M. “Narrativas, educação, saúde: epistemologia e métodos da pesquisa (auto)biográfica com crianças”. (MCTI/CNPq Chamada nº 06/2019 (processo n. 307063/2019-4. Financiamento bolsa de produtividade em pesquisa).
O objetivo do projeto Narrativa, educação e saúde: epistemologia e métodos da pesquisa (auto)biográfica com crianças? (CNPq, n. 307063/2019-4) é adensar estudos sobre as bases epistemológicas, teórico-conceitual e de métodos de análise de narrativas da experiência vivida com base em resultados de pesquisas realizadas nos últimos seis anos (CNPq: nº 401519/2011-2; no. 462119/2014-9; no. 310582/2016-4) e em andamento (no. 443695/2018-0). Toma-se como objeto de estudo a reflexividade narrativa enquanto disposição humana, que se manifesta desde tenra idade e se prolonga ao longo da vida, no ato de narrar. Trata-se de uma proposta geminada com o projeto em andamento, que investiga a compreensão de criança com doenças crônicas, seus cuidadores, professores e profissionais de saúde, nos processos de transição entre a escola e o hospital, a saúde e o adoecimento. Com base na experiência narrada pelos participantes, aprofundaremos as bases teórico-epistemológicas, de método e de análises sobre seus modos de conviver, conhecer e agir como elementos valorizadores de suas ações no mundo da vida, de modo a contribuir para o avanço da pesquisa qualitativa em educação, na vertente da pesquisa (auto)biográfica. A parceria com pesquisadores que investigam a educação terapêutica de pacientes adultos (ETP), na França, constitui mais uma abertura para propor como objetivo teórico-prático depreender possibilidades de implementá-la com criança e adolescentes enfermos em contexto brasileiro. Nesse sentido, procuramos aprofundar indícios de seu protagonismo no hospital, clínicas, domicilio, interrogando as especificidades desse esforço na infância e na adolescência. Os impactos sociais e científicos de resultados anteriores permitem projetar conhecimentos mais elaborados com vistas a trazer insumos para a pesquisa com crianças, com adolescentes e com adultos, a formação docente e práticas educacionais suscetíveis de fomentar inovações educacionais, em resposta a demandas que considerem, primordialmente, a criança com ?absoluta prioridade?. Produtos: disponibilização de dados e resultados de pesquisa sob a forma de artigos, coletâneas, livros que permitam fortalecer a formação graduada e pós-graduada e diálogos entre pesquisadores em rede nacional e internacional, trabalhos conjuntos de investigação voltadas para as interface entre educação e saúde, visando o bem-estar nas instituições que acolhem crianças, adolescentes e adultos em processos transicionais entre a saúde e o adoecimento..

 

SUBJETIVIDADE SOCIAL DOCENTE E POLÍTICAS DE SUBJETIVIDADE: APORTES DE UMA PERSPECTIVA PSICOSSOCIAL – Concluído em 2020, analisou conexões entre subjetividade social e representações sociais, no intuito de apresentar contributos aos estudos educacionais fundamentados em uma perspectiva psicossocial. Deu prosseguimento a pesquisa desenvolvida em 2015 como pós-doutoramento financiado pela CAPES, junto ao Department of Social Psychology – The London School of EconomicsPolitical Science (LSE), Reino Unido, que investigou as subjetividades construídas por professores do ensino fundamental, pela via das representações sociais. Financiamento: CNPQ (Edital Universal).

 

ANÁLISE SISTÊMICA DO PROCESSO DE INCLUSÃO ESCOLAR: A IDENTIFICAÇÃO DE POSSIBILIDADES DE INTERVENÇÃO NOS CONTEXTOS FÍSICO, SOCIAL E PEDAGÓGICO – Caracteriza as condições físicas sociais e pedagógicas do contexto escolar tendo em vista favorecer a inclusão de crianças e jovens com deficiência. Prevê a análise das instalações e espaços para a prática pedagógica, do projeto pedagógico, dos planos de ensino dos professores e dos processos de interação social identificados.
Financiamento: FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID.

 

EDUCAÇÃO ESCOLAR EM TEMPOS DE PANDEMIA NA VISÃO DE PROFESSORAS/ES DA EDUCAÇÃO BÁSICA – Analisa percepções de professores e gestores sobre aspectos relacionados ao contexto do isolamento social. A pesquisa é desdobramento de investigação maio – organizada pelo Departamento de Pesquisas Educacionais da Fundação Carlos Chagas, em parceria com a UNESCO do Brasil e Itaú Social. A primeira etapa foi respondida por 14.285 docentes de todo o país, por meio de um questionário on-line composto por 24 questões fechadas e 2 abertas.
Financiamento: Fundação Carlos Chagas (a instituição não permite divulgação de recursos)

 

MATRIZES E FORMAÇÃO: NARRATIVAS DE PROFESSORES COMO ALUNOS E PROFESSORES – Investiga os processos de constituição das matrizes pedagógicas de professores que atuam em escolas de infância e como elas podem ser acessadas, revistas e ressignificadas nos contextos de pesquisa e formação que se apoiam na abordagem autobiográfica.
Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID.

 

NARRATIVA (AUTO)BIOGRÁFICA PICTOGRÁFICA: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS NA EXPERIÊNCIA ESTÉTICA DE PERCURSOS FORMATIVOS – O estudo integra o Centro Internacional de Estudos em Representações Sociais e Subjetividade – Educação (CIERS-ed) da Fundação Carlos Chagas. Investiga a Colcha de Retalhos, metodologia desenvolvida como proposta de formação inicial de professores e gestores, por meio das narrativas em suas dimensões escrita, pictórica e oral.
Financiamento: FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID.

 

OLHARES PSICOSSOCIAIS PARA A PRÁTICA DOCENTE
Profa. Dra. Adelina Novaes
O Projeto congrega 44 grupos de pesquisa associados ao Centro Internacional de Estudos em Representações Sociais e Subjetividade – Educação (CIERS-ed) e à Cátedra Unesco sobre Profissionalização Docente. Visa oferecer uma pluralidade de informações contextualizadas sobre o trabalho docente, por meio de estudo psicossocial, de caráter etnográfico, amparado por multimétodos de coleta e análise.
Financiamento: Fundação Carlos Chagas (a instituição não permite divulgação de recursos)

 

NARRATIVAS DE CRIANÇAS EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE E DE SEUS PROFESSORES SOBRE À ESCOLA
Profa. Dra. Ecleide Cunico Furlanetto
O projeto insere-se em pesquisa mais ampla: “Narrativa, educação e saúde: crianças, família e professores entre o hospital e a escola”, Como um braço da pesquisa principal, o presente projeto, se propõe a investigar as significações elaboradas por crianças que vivem em situação de vulnerabilidade e seus professores, sobre a escola..Com o presente projeto, busca-se fortalecer a perspectiva que considera a criança como sujeito de direito, de forma a adensar o diálogo com as instituições que acolhem as diferentes infâncias e seus contextos. A pesquisa conta com a colaboração de pesquisadores nacionais e internacionais.
Financiamento: FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID.

 

CONCEPÇÕES DOS GESTORES EDUCACIONAIS DE ESCOLAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE O BRINCAR E A MOTRICIDADE INFANTIL NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

Coordenação: Profa. Dra. Ida Carneiro Martins – UNICID Participantes: Prof. Dr. Roberto Gimenez – UNICID Profa. Dra. Roberta Gaio – UNISAL – Campinas
Estudos e documentos oficiais indicam que a oportunidade para a vivência de atividades lúdicas e da motricidade infantil são processos fundamentais para o desenvolvimento de crianças, especialmente no que se refere à Educação Infantil e aos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, ou seja, o brincar e a possibilidade para o movimento deveriam ter papel central na prática educativa das crianças que frequentam estes ciclos de ensino. No entanto, acredita-se que esta valorização é mais enfatizada nos discursos dos gestores destes ciclos de ensino, do que na estruturação do contexto educacional e nas orientações para as práticas educativas no cotidiano escolar. Observando tal condição, este projeto tem como objetivo investigar a concepção de gestores sobre a relevância das brincadeiras e da motricidade infantil no cotidiano escolar de instituições de Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, numa cidade do interior do estado de São Paulo. Para seu desenvolvimento se adotará uma combinação de procedimentos, ou seja, a análise dos documentos que norteiam a estruturação destes ciclos de ensino e a entrevista com os gestores. Pela análise dos dados obtidos se buscará compreender como os gestores concebem o lugar da brincadeira e da motricidade infantil, como elas estão inter-relacionadas na rotina escolar e as condições proporcionadas pela escola para que elas aconteçam.
Financiamento FUNDO INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA (FIAP)/UNICID.